15/12/2019

Equilibre sentimentos com pensamentos

Marcelo Guerra Marcelo Guerra
"Não podemos esquecer que o entendimento e o sentimento são siameses, e apesar de às vezes só notarmos a presença de um, o outro está ali dando sinais. Não existe o puro-pensar nem o puro-sentir. "

“Viver é melhor que sonhar” Belchior

Entender e sentir. Parecem dois verbos separados que nunca se encontram. No entanto, deveriam ser irmãos siameses, unidos pela barriga e pela cabeça. Realizamos diversas ações todos os dias, que deveriam ser dirigidas por esses siameses. Mas são irmãos que costumam disputar a nossa preferência, causando um desequilíbrio.

Há situações em que sentir é mais importante. Por exemplo, numa situação romântica, a escolha de uma companhia para a vida. No mundo ideal escolhemos aquela pessoa que amamos, e ponto. No mundo real, o ponto se torna vírgula, que pode ser seguida de palavras como ‘mas’ e ‘porém’. É onde entra a necessidade de entender a situação.

Deixando por conta apenas do que sentimos, nos permitimos ficar em relações abusivas algumas vezes. Não custa lembrar que essas situações dão uma pista através do próprio sentimento. É quando, junto com o sentimento de amor, temos sensações de mal estar indefinido, mais ou menos frequentes. É que estamos tentando entender e, devido à intensidade do ‘bom’ sentimento, o máximo que o entendimento consegue é turvar um pouco o amor.

Esse é um sinal valioso! É o chamado para olhar com calma a situação que vivemos em todos os seus ângulos e tentar, num primeiro momento, isolar o sentimento. Como se olhasse de fora, como se estivesse vendo a vida de uma celebridade e não a própria. Num primeiro momento, só olhar os fatos, sem julgá-los.

Depois de colecionados, esses fatos já podem ser entendidos, e dedicamos nosso tempo a pensar sobre eles, buscando conexões e padrões. Basicamente, o que podemos encontrar são as conexões com nossa história pessoal, o que vai trazer o entendimento do porquê de tal situação nos atrair e o que a faz turvar-se.

Não podemos esquecer que o entendimento e o sentimento são siameses, e apesar de às vezes só notarmos a presença de um, o outro está ali dando sinais. Não existe o puro-pensar nem o puro-sentir.

Sentimentos são impregnados de expectativas, assim como as decepções. As expectativas nascem das nossas fantasias inconscientes, nossos sonhos, nossas aspirações. Nem sempre vamos entender a origem da afeição por uma pessoa, por essa ligação com nosso mundo interior. Por isso o amor sempre vai ter muito de inexplicável e incompreensível.

Nem tudo você vai poder entender num relacionamento, é bom se deixar levar pelos sentimentos. Mas, quando você perceber que há um travo no fundo da língua misturado com o doce do amor, dedique sua energia para buscar entender o que pode estar lhe desagradando. Não espere isso virar uma montanha de sal que te aprisiona. Equilibrar o entender e o sentir pode lhe ajudar a agir mais consciente e por inteiro num relacionamento.

Por: Marcelo Guerra

Marcelo Guerra é médico homeopata e acupunturista, além de terapeuta biográfico de base antroposófica. Atende em Nova Friburgo e Niterói, e organiza vivências de autodesenvolvimento.

VOLTAR À PÁGINA INICIAL