25/06/2019

Homeopatia: cada pessoa é única

Marcelo Guerra Marcelo Guerra
"A Medicina Homeopática é uma especialidade médica, fundada no século XVIII por um médico alemão chamado Samuel Christian Hahnemann."

A Medicina Homeopática é uma especialidade médica, fundada no século XVIII por um médico alemão chamado Samuel Christian Hahnemann. Decepcionado com a medicina praticada em sua época, que matava frequentemente pela violência de seus métodos de tratamento (principalmente a sangria), Hahnemann começou a pesquisar a ação de várias substâncias baseada no princípio da similitude. Este princípio, mencionado pela primeira vez na Grécia antiga por Hipócrates, o pai da medicina moderna, diz que o semelhante pode curar o semelhante. Assim, Hahnemann começou a experimentar em si mesmo, em familiares, amigos e discípulos que se apresentaram como voluntários, substâncias diferentes, uma por vez, durante um período de tempo. Cada experimentador anotava todas as mudanças que percebia em seus hábitos de vida, em sua saúde física e em seus pensamentos e sentimentos.

Depois ele coletava e organizava esses sintomas que tal substância causava e a essa coleção de sintomas de cada remédio ele chamou ‘patogenesia’ (produção de doença). Com essas experimentações ele definiu o que cada substância pode causar nos indivíduos saudáveis e, partindo do princípio da similitude, estas substâncias foram usadas em pessoas doentes que apresentaram tais sintomas, resultando na sua cura. Assim começou a Homeopatia.

Logo, diversas escolas médicas na Europa e na América começaram a ensinar a Homeopatia para os médicos interessados nesta nova forma de curar e perceber o paciente, o que proporcionou um grande crescimento desta especialidade médica. No Brasil, a Homeopatia está presente desde o século XIX, tendo sido aqui introduzida por Benoit Mure, um médico francês que fora discípulo de Hahnemann, e foi reconhecida como especialidade médica em 1980, sendo praticada por milhares de médicos dispersos pelo país.

Para qualquer médico, a raiz do seu trabalho está em obter um diagnóstico da doença que tira a paz de seu paciente. Para um médico homeopata, soma-se ao diagnóstico da doença o diagnóstico do medicamento que será escolhido para tratá-lo, já que cada remédio apresenta uma imagem formada pelos sintomas apresentados pelos experimentadores. Para este diagnóstico do remédio, o médico homeopata precisa conhecer bem as doenças e os remédios, já que ele vai buscar aquilo que é específico daquele paciente para tratar, - e que vai se manifestar por meio de sintomas raros, estranhos e peculiares. Estes sintomas são causados como uma resposta específica do paciente à ação da doença, seja ela física ou psíquica.

Por exemplo: num paciente que apresenta infecção de garganta, a dor de garganta e a febre são sintomas próprios da doença. Mas se um determinado paciente apresentar, além destes sintomas comuns, uma melhora da dor de garganta bebendo água gelada, isto será raro, estranho e peculiar. Por isso, poderá ser um ótimo guia para o médico encontrar o remédio homeopático mais apropriado para aquele paciente sofrendo daquela doença.

É pela habilidade em diagnosticar a doença e como o doente reage a ela, que o médico homeopata pode oferecer um tratamento personalizado a cada paciente, afinal cada pessoa é única!

Dúvidas frequentes

sobre a homeopatia:

1. A Homeopatia só funciona para casos leves e psicossomáticos? Não, a Homeopatia resolve casos de doenças agudas, como infecções por exemplo, de forma tão rápida quanto o tratamento alopático.

2. A Homeopatia é lenta? Em casos agudos, o tratamento homeopático é tão rápido quanto o convencional, enquanto em casos crônicos, de longa duração, o tratamento é mais lento, já que o tratamento homeopático evita suprimir as doenças, mas sim promover a reação adequada do próprio organismo para a cura eficaz e segura.

3. Quem toma remédios alopáticos não pode misturar com alopatia, sob risco dos dois tratamentos perderem o efeito? O paciente pode tomar com segurança os dois tipos de medicamentos, o que pode acontecer de desagradável é quando se faz uso de corticoides, porque deprimem a reação natural do organismo, atuando de forma bem contrária ao que se espera do tratamento homeopático.

4. Se bem não faz, mal também não faz? Um remédio homeopático tomado de forma incorreta pode provocar sintomas como o faz nas experimentações com pessoas saudáveis. Por isso, automedicar-se com remédios homeopáticos pode trazer riscos ao paciente. Remédios devem ser prescritos por médicos após avaliação criteriosa de seu quadro clínico.

Por: Marcelo Guerra

Marcelo Guerra é médico homeopata e acupunturista, além de terapeuta biográfico de base antroposófica. Atende em Nova Friburgo e Niterói, e organiza vivências de autodesenvolvimento.

VOLTAR À PÁGINA INICIAL