27/08/2018

Sentimento de Culpa

Vera Calvet Vera Calvet
"O sentimento de culpa é o sofrimento obtido após a reavaliação de um comportamento passado que reprovamos em nós mesmos. "

Ninguém gosta de sentir culpa, mas você já pensou que só a tem quem pode? Sentir culpa não é para qualquer pessoa! Só os bons e conscientes a sentem!

Pense comigo! O sentimento de culpa é o sofrimento obtido após a reavaliação de um comportamento passado que reprovamos em nós mesmos. É um sentimento que gera dor e frustração causadas pela distância entre o que julgamos que deveríamos ter feito e o que de fato fizemos na ocasião.

A culpa é uma percepção no momento presente, de algo ocorrido no passado. E nesse sentido, a culpa só acontece com as pessoas que estão em processo de aprendizado e, principalmente, só ocorre na mente e no coração de quem tem consciência! Que reconhece os erros!

O sentimento de culpa está diretamente ligado ao arrependimento. O que é positivo, pois mostra que aprendemos e não vamos repetir o erro! Mas a nossa dor prolongada, o auto massacre, não têm nada de positivo, pois estão ligados ao criticismo exacerbado e implacável!

Algumas pessoas podem facilmente entender e perdoar os outros, porém são implacáveis e não perdoam a si mesmos! E isso pode ser extremamente perigoso, pois leva a autopunição.

Sentir-se culpado e massacrar-se a esse ponto fará com que a pessoa, além de torturar-se indefinidamente, boicote a sua própria vida e oportunidades de felicidade, sem que perceba. Pois existe um pensamento inconsciente na mente culpada que diz: Pessoas culpadas merecem punição!

Disseram Aristóteles e Carl Yastrzemski:

“É fazendo e às vezes errando que se aprende aquilo que se deve aprender a fazer.”

“Se você quer os acertos, esteja preparado para os erros.”

Errar faz parte de nosso aprendizado e crescimento! Para aprendermos, precisamos constatar um erro, antes de mudarmos!

A constatação do erro é o momento de reconhecimento de nossa responsabilidade. Mas também de nosso reconhecimento da possibilidade de mudança! Só constatamos um erro quando estamos aptos a crescer!

Ninguém erra de propósito! Ninguém acorda um belo dia e diz: “Hoje vou fazer tudo errado, destruir meus relacionamentos, acabar com a minha vida e felicidade!”

Erramos sem a intenção de errar! Erramos por pensarmos, no momento, que fazíamos o que devia ter sido feito! Fizemos o nosso melhor naquele momento! E se isso se mostrou insuficiente agora é porque temos consciência, estamos evoluindo e aprendemos através de nossos erros. Não existe outra forma para aprendermos por nós mesmos, a não ser errando e acertando!

Nos torturar ao ponto de invalidar nossa felicidade por julgarmos a nós mesmos tão severamente no passado é extremamente injusto! Pois não tínhamos o conhecimento de que dispomos hoje, por isso erramos!

Não podemos pensar hoje, que poderíamos ter feito diferente no passado! Na época, não tínhamos o conhecimento e consciência atuais! Hoje sim, podemos fazer diferente! Não ontem!

É claro que devemos assumir nossa parte de responsabilidade em nossos erros! Porém, cairmos no sentimento de culpa torturante e na autopunição pode ser nosso ato mais injusto!

Precisamos avaliar se estamos nos impondo uma suposta perfeição que não existe, já que ninguém é perfeito e jamais o será!

Perdoe-se! Ninguém nasce sabendo!

Constatar um erro é positivo! Vamos trocar a palavra “culpa” pelas palavras “responsabilidade e aprendizado”?

Dessa forma podemos crescer e nos respeitar!

Por: Vera Calvet

Vera Calvet é arquiteta, vice-presidente do Instituto Ráshuah do Brasil - Núcleo de Meditação e Terapias. Psicoterapeuta, escritora, instrutora de meditação e palestrante. Desenvolveu métodos terapêuticos voltados ao autoconhecimento e técnicas de Meditação, ministrados em todas as unidades do Instituto Ráshuah no Brasil e no exterior: http://www.rashuah.com.br

VOLTAR À PÁGINA INICIAL