24/07/2018

Uma questão de fé

Vera Calvet Vera Calvet
"Ao compreendermos de fato que - no que cada um de nós acredita é antes de tudo uma experiência pessoal e emocional muito particular - passamos a ter respeito (...)"

A Fé pode ser definida como sendo a adesão, a firme convicção, de forma incondicional a alguma hipótese que se julgue totalmente verdadeira, mesmo sem qualquer tipo de prova ou critério objetivo de verificação. A fé é a confiança absoluta.

A palavra fé veio da palavra grega pí-stis, que transmite a ideia de confiança, fidúcia, firme persuasão e se relaciona com os verbos acreditar e confiar. E pode-se também considerar que ter fé é nutrir um sentimento de afeição pelo que acredita.

Tive um aluno, com 42 anos na época, que andava com um botão de calça jeans na carteira, desde seus 18 anos. Dizia que era seu botão da sorte e proteção desde que havia sofrido um acidente de motocicleta. Vestia um jeans na ocasião, do qual ele guardou o botão como amuleto, pois disse ter escapado da morte por milagre. O botão, para ele, passou a ser um símbolo, um lembrete de que será sempre protegido pela divindade na qual tem fé.

É comum associarmos a palavra fé a um sentimento em relação a uma divindade ou a uma base de propostas e dogmas de uma determinada religião. Mas também podemos ter fé em uma ideologia, um pensamento filosófico, um sistema, um conjunto de regras e até em uma crença popular ou pessoa. Tudo no qual cremos e confiamos de forma incondicional e irrestrita, mesmo que não se possa provar total e objetivamente ser verdade, passa a ser fé.

Via de regra não é possível uma troca baseada em argumentação por convencimento a respeito da fé, pois uma pessoa de determinada fé não conseguiria persuadir outra de diferente fé.

Aliás, essa é a maior causa dos conflitos dessa natureza, pois sendo a fé algo quase que emocional e muito pessoal, além disso, raramente ou nunca, passível de provas concretas, físicas, materiais, uma discussão nessa área é quase sempre um solo minado. A fé é geralmente associada a experiências pessoais e pode ser compartilhada com outras pessoas apenas através de relatos e não de provas concretas e irrefutáveis, necessariamente. Por isso, a imensa dificuldade no relacionamento e troca de ideias entre as pessoas, quando o assunto se refere ao que cada um crê como sendo verdade.

Ao compreendermos de fato que - no que cada um de nós acredita é antes de tudo uma experiência pessoal e emocional muito particular - passamos a ter respeito e também a compreensão de que a experiência de fé reside dentro de cada um. E sendo cada um de nós tão diferente, belo e único, a fé de cada será assim também: Única, pessoal, bela e diferente!

Por: Vera Calvet

Vera Calvet é arquiteta, vice-presidente do Instituto Ráshuah do Brasil - Núcleo de Meditação e Terapias. Psicoterapeuta, escritora, instrutora de meditação e palestrante. Desenvolveu métodos terapêuticos voltados ao autoconhecimento e técnicas de Meditação, ministrados em todas as unidades do Instituto Ráshuah no Brasil e no exterior: http://www.rashuah.com.br

VOLTAR À PÁGINA INICIAL