29/05/2018

Pare o mundo, eu quero descer

Vera Calvet Vera Calvet
"Talvez se nós, adultos protetores, nos déssemos ao direito de lembrar como é importante a visão mais positiva, alegre e confiante da criança, o mundo não seria visto como algo tão sem conserto ou tão negativo!"

Você já sentiu como se os eventos estivessem acontecendo em uma velocidade tão grande, de formas tão desagradáveis, que a sensação é de impotência, como se o mundo acelerasse e tudo fosse desabando?

Para onde olhamos, só existe o mal contaminando tudo! A antiga sensação de leveza e segurança se foi! Dá mesmo vontade de gritar: “Pare o mundo, porque eu quero descer!”

Só nos resta o medo e a falta de esperança, pois o medo pode nos fazer imaginar sempre os piores resultados!

O medo, via de regra, é o responsável por nossa sensação de impotência. E é ele também o responsável por nossa percepção desse mundo feio do qual queremos nos libertar. Estamos, nesses momentos, enxergando um mundo que reflete apenas o que mais tememos!

Pare um segundo e procure se lembrar como você se sentia quando era criança!

Dirá que o mundo era melhor, mais positivo nisso ou naquilo, certamente! Porém, tenho certeza de que os adultos que tinham a missão de te proteger sentiam muitos medos e frustrações e também achavam que o mundo era difícil em diversos aspectos!

E uma criança hoje? Observe o quanto ela pode ser tão feliz e despreocupada quanto você foi, porque ela tem quem a proteja!

O que quero dizer é que hoje, o adulto é você! Você é quem assume o papel de protetor tanto do mundo de seus filhos quanto do seu! Você é quem tenta proteger a todos, consertar o mundo ou criticá-lo!

Não importa se o mundo está mais assim ou assado hoje em dia! A visão e o mundo de quem assume ser o protetor e ator pode ser facilmente tomada pelo medo e frustração! Em qualquer época! Enquanto que o mundo das crianças, não!

Talvez se nós, adultos protetores, nos déssemos ao direito de lembrar como é importante a visão mais positiva, alegre e confiante da criança, o mundo não seria visto como algo tão sem conserto ou tão negativo!

Nosso desafio é transitar no tempo, através dos eventos que cada época nos traz, porém, carregando nosso adulto e nossa criança interior lado a lado!

O mundo reflete nossos medos, mas também reflete nosso amor e esperanças! Basta escolhermos a cada momento onde focaremos nossa atenção!

Ao conseguirmos essa visão equilibrada, veremos que tudo flui, evolui, chove e faz sol, as pessoas vem e vão e o mundo continua em seu ritmo e evolução!

Gira mundo, eu quero viver!

Por: Vera Calvet

Vera Calvet é arquiteta, vice-presidente do Instituto Ráshuah do Brasil - Núcleo de Meditação e Terapias. Psicoterapeuta, escritora, instrutora de meditação e palestrante. Desenvolveu métodos terapêuticos voltados ao autoconhecimento e técnicas de Meditação, ministrados em todas as unidades do Instituto Ráshuah no Brasil e no exterior: http://www.rashuah.com.br

VOLTAR À PÁGINA INICIAL